PARA FALAR CONOSCO

Entre em contato pelos emails:

mariasdeoliveira@hotmail.com
mariasantosdeoliveira13@gmail.com
marsan_oliveira@yahoo.com.br

Será um prazer atende-los.

quarta-feira, 17 de março de 2010

PARA REFLETIR O NÓ AFETIVO


QUERIDOS PAIS

Quero chamar a sua atenção pedindo-lhe que leia este texto com carinho e reflita sob a sua condição. De que maneira você está marcando presença na vida de seu filho, "Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta". Salmos 127.4-5.
Muitos ainda não entenderam o que este salmo quer dizer, não compreenderam que Deus quer  nos ensinar o cuidado que devemos ter com os nossos filhos, a grande responsabilidade que Ele  nos confiou. Um ser humano que precisa de amor e de carinho e de muita atenção para sobreviver e ser alguém na vida.

 

Não importa a idade que seu filho tenha, demonstre á ele a importância que ele representa para você, tenha certeza que este é   caminho certo pois quando liberar o seu filho  para vida não será um perdido, mas saberá seguir seu caminho com dignidade.Escutei essa mensagem hoje em uma reunião de pais na escola de meu filho, e fiquei maravilhada com a lição que ela nos traz. Fiquei maravilhada em perceber que a escola também se preocupa com o bem estar e o futuro de nossos filhos
O Nó Afetivo
Em uma reunião de pais, numa escola da periferia, a diretora incentivava o apoio que os pais devem dar aos filhos. Pedia que se esforçassem para serem presentes, mesmo trabalhando fora o dia todo.
A diretora ficou muito surpresa quando um pai se levantou e explicou, com seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo durante a semana.
Quando ele saía para trabalhar, era muito cedo e o filho ainda estava dormindo. Quando voltava, o garoto já tinha ido para a cama.
Mas ele contou que, em todas as noites, ia ao quarto onde o filho dormia, dava um beijo nele e, para que o filho soubesse da sua presença, dava um nó na ponta do lençol. Isso acontecia, religiosamente, todas as noites. Quando o filho acordava e via o nó sabia que o pai tinha estado ali. O nó era o meio de comunicação entre eles. A diretora ficou emocionada com aquela história singela. E ficou surpresa quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola

O fato nos faz refletir sobre as muitas maneiras de um pai ou uma mãe se fazer presente, de se comunicar com o filho. Aquele pai encontrou a sua, simples, mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó afetivo, o que o pai estava lhe dizendo.
E você? Já deu algum nó no lençol do seu filho ou da pessoa mais querida para você hoje? Um nó de afeto e carinho?
Você também pode encontrar a sua própria maneira de garantir a quem você ama a sua presença... Fonte DiabeteNet.com.br








Nenhum comentário: